Doce Sebastião.











Sebastião Salgado contém multidões. Toda a humanidade, nos seus olhos. Por suas lentes, os calados falam. A miséria do mundo se estrebucha. Sebastião Salgado rasga as tripas do planeta. Provoca epifanias. Denuncia. Revela o desumano da vida, o diverso do homem, a impiedade, o desamparo, a profunda solidão. Sebastião Salgado grita sem falar. Cada foto sua é um livro de mil páginas. O belo é silencioso e imenso. As mulheres de Sebastião vêm da eternidade e nos cavocam o fundo. Punhal. Sebastião Salgado é um mago. Sebastião Salgado é um mártir. Se imola pra nos salvar. Bendito, tão doce Sebastião! (Graça Craidy)

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUE

Com quantos Zaragozas se faz um Zaragoza?

Criador e modelo  Das Belas Artes aos multizaragozas " Pra ele, tudo na vida é uma folha em branco à espera de idéias novas...

MAIS LIDAS